Mais um casamento comunitário organizado pela Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Mais um monte de casais felizes e muitas histórias para contar. A festa dessa vez comemorava um ano da UPP Fallet, Fogueteiro e Coroa, no Rio Comprido, e foi realizada no salão de festas do Clube Helênico. O evento uniu 16 casais apaixonados da comunidade, mas escolhi apenas um para contar como tudo aconteceu. A mão na barriga não deixava Marcela esconder a gravidez. O sorriso no rosto não deixava ela esconder a alegria.

Grávida de oito meses, a jovem Marcela Prudente, de 24 anos, estava linda. Vestido branco, um buquê de flores nas mãos, ela chegou ao evento dentro da uma van da polícia militar. Junto com ela estavam outras 15 mulheres que acordaram cedo. Já não é fácil uma mulher se arrumar para ir a uma festa. Imaginem 16. Agora imagina que são 16 noivas. Elas tiveram que acordar às 5h30m e só terminaram tudo 12h. A beleza das noivas mais uma vez ficou sob a responsabilidades do Senac/Rio.A cerimônia estava marcada para 11h. Enquanto as mulheres não chegavam, os noivos esperavam pacientemente.

Entre os mais nervosos estava Wesley Souza da Silva, de 23 anos, noivo de Marcela e personagem da nossa reportagem. O salão estava lindo e cheio… principalmente de emoção. No palco, a banda da Polícia Militar estava a postos para a marcha nupcial. E o capelão PM esperava para começar a cerimônia.A correria de parentes anunciou a chegada das noivas. Elas desceram apressadas, mas não conseguiram escapar do batalhão de parentógrafos (os parentes fotógrafos) que queriam registrar todos os minutos de um dia tão especial.Meninas de um lado, meninos do outro. Estava tudo pronto para o casamento começar.

A marcha nupcial deu a senha e o desfile começou. Sim, parecia que eles estavam desfilando: 16 casais lindos, felizes, aproveitando um momento único.Todos a postos, foi a vez do capelão PM falar. Lindas palavras por sinal, exaltando a importância do amor e da fidelidade entre os apaixonados casais. A festa parou para ver a entrada das alianças, que chegaram nas mãos de duas lindas crianças, filhos das próprias noivas. Até brinquei perguntando se eles também estavam casando. Mas o menino não gostou muito.Tudo pronto, cerimônia completa, chegou a hora de beijar a noiva. Aí foi difícil segurar a emoção. Um monte de fotos depois, os casais saíram. Um de cada vez, foram até a mesa do bolo para tirar fotos e receber um presente da Natura – que mais uma vez também participou do evento.

Depois de tanta emoção fui ao encontro do casal Marcela e Wesley para saber o que eles tinham achado da festa. Fiquei impressionado com a clareza deles nas palavras e com o amor dos dois.- O meu sonho está sendo realizado, acho que hoje é o dia mais feliz da minha vida – disse a jovem Marcela, sem esconder a emoção e sempre atenta ao barrigão.- Estamos em um momento muito feliz. Temos a nossa casa, nosso filho está a caminho e agora estamos casados. Agora vamos dar início à vida, respeitando a minha mulher e dando o melhor que eu puder para o meu filho – completou Wesley.

O pequeno Caio deve chegar ao mundo no fim de março. E já vai ver os pais casados no papel, com tudo certinho.- Toda mulher sonha casar, usar vestido, tudo bonitinho e estamos tendo essa oportunidade maravilhosa – comemorava Marcela, quando foi interrompida pelo marido:- Eu não teria condições de organizar uma festa como essas. Até tentei juntar um dinheirinho, queria oferecer isso pra ela, mas não consegui. Então, tenho que agradecer à UPP, sem eles na comunidade nada disso estaria acontecendo – finalizou Wesley.

Comandante da unidade pacificadora, o capitão Sérgio Stoll esteve presente na comunidade. E não conseguia esconder a alegria com o sucesso do evento.- É muito importante para a gente estar presente nesse momento de união deles. É uma iniciativa excelente para o relacionamento com a comunidade. Desejamos muito sucesso para os noivos e que a gente continue se encontrando na comunidade agora – disse o oficial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui